quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Ócio da licença maternidade

Esses dias eu estava lendo um blog e a autora comentava sobre o que fazer durante o ócio da licença maternidade, já que havia recém dado a luz. Me lembro totalmente da minha reação (até porque seria a mesma agora): O QUE? Lembro de me sentir meio entorpecida durante alguns segundos, repassando mentalmente meu dia a dia.

Cuidar do meu filho, que dia 09 vai completar 3 mesinhos de vida, é a coisa que mais amo no mundo. Mais ainda do que escrever, que era antes meu prazer maior. E ainda assim durante os segundos em que revi minha rotina, me senti muito cansada. Isso porque divido meu tempo entre os cuidados com ele e os afazeres diários de quem não tem uma empregada doméstica (será que é isso, será que ela tem uma empregada e metade das tarefas já não fazem mais parte da sua rotina? Vou me sentir mais normal se for isso, rs).

Lavar roupa (as dele, principalmente, até porque o Enzo nasceu magrinho e mesmo a fralda RN sempre deixou passar cocozinhos pelas perninhas, rs), cozinhar (porque tenho que estar alimentada para que ele também esteja), lavar louça, tirar o pó (porque com criança pequena em casa tem que estar sempre tudo mais limpinho, né?), isso só para lembrar de algumas coisas.

Ah, e isso porque o papai, além de ajudar com o pimpolho sempre que dá, ainda vai no super, lava o quintal e tira o lixo prá mim. E tá dando uma atençãozinha pros cachorros, tadinhos, porque nem prá isso sobra muito tempo na minha rotina.

E além disso tudo, já comecei a ensaiar alguns trabalhos, até para não perder o jeito. Mas sempre com foco principal no Enzo, afinal de contas, ele ainda está na fase das dores, e começou a conversar e quer atenção sempre que está acordado (e confesso que muitas vezes eu é que fico lá embasbacada, vendo ele conversar e sorrir e tudo mais. Babona).

Pensando nisso tudo, mesmo apaixonada, pensei: que ócio? Onde está o tempo livre para que pensar em que outras coisas mais posso me dedicar? rsrsrs.

Não sei se sou diferente, se sou normal, ou o que é normal. Mas hoje de manhã lembro de acordar com a exata sensação de que minha vida está completa. E o resto a gente vê depois. E me dedicar a esse serzinho que foi tão desejado, tão planejado é o mínimo a fazer para retribuir a Deus tanta felicidade!

2 comentários:

João Gabriel disse...

Show o texto. Bem isso! Lindo do tio John.

Ana Paula disse...

primeiramenteeeeeeee...olha essas fotos! Como ele está lindo!!!

Bom, tbém não vejo ócio nessa fase, "sobra tanta falta de tempo"